Relato Risk Legacy – partida 01 e 02

Após as super apresentações e o climão do ultimo post do Risk Legacy, que se você perdeu, pode conferir clicando AQUI! Vamos ao relato da primeira partida da campanha.

A primeira coisa foi definir algumas regras particulares do grupo:
– O vencedor fica com o tabuleiro;
– Os poderes iniciais das facções são escolhidos pelo primeiro jogador a utilizá-la (são duas opções, o outro daí é descarte);
– As moedas nas cartas (que valem pontos extras em trocas) que são distribuídas no começo do jogo foram coladas de forma aleatória com exceção de 05 delas que cada jogador poderia escolher.

Definido isto após muita barganha, discussão e por fim sorteio dos dado (haha).. começamos o jogos!

PARTIDA 01

Após a iniciativa, cada jogador escolheu sua raça inicial e o primeiro poder dela. Ainda cada jogador ganhou um scar (adesivo a ser colado no tabuleiro que começa a alterar a estratégia do jogo) para jogar em determinado momento.

Saulo com a iniciativa e jogando de Khan Industries começou no país X (Oceania), dominou rapidamente este continente e iniciou a expansão para a Ásia.

Raony que vos escreve com a raça Imperial Balkania começou na América do Sul, Argentina, mas fez uma escolha errada de posição que o colocou em maus lençóis.

Aline, jogando de Die Mechaniker, na dúvida da posição também procurou um cantinho e fundou seu HQ (head quarter) na África do Sul.

Já o Ramsés, começou apavorando com os predadores da Enclave of the Bear também na América do Sul, jogando no erro do adversário (Raony), que posicionou as tropas em um local que permitia a entrada de outro HQ naquele continente.

O Alves, com a Sahran Republic, resolveu ser o colonizador do Hemisfério norte, posicionando suas tropas no norte da Europa, dando sequência em expansão no continente para possível conquista nos próximos rounds.

O jogo já começou feroz com o Raony tentando consertar o inconsertável atacando o Ramsés, antes de ser atacado. Não adiantou nada, e fugiu para a Europa buscando um cantinho para se manter no jogo.

O Ramsés revidou o ataque e na sequência de 02 turnos dominou a Região Latina, conquistou o segundo HQ e ficou a 1 ponto da vitória.

Desse combate na América do Sul ocorreram alguns desdobramentos que com certeza serão muito importantes até o final do jogo:

Foram lançados dois scars de Bunker (adesivos que aumentam a defesa da cidade que está sendo atacada até o fim do jogo) na América do Sul. Mas o que isso significa? Significa que o player que começar os próximos jogos neste continente vai ter uma boa vantagem defensiva. E o outro vocês conferem mais abaixo.

A Aline conquistou a África rapidamente, mas ainda com poucas tropas para expandir e forçar ataques em outras regiões.

O Saulo, sem adversários no Oriente, se fortaleceu na região e conquistou a Ásia com uma facilidade incrível.

O Alves um pouco ameaçado e sem espaço, deu um ataque no Saulo para tirar os bônus deste, começou a conquistar alguns territórios na América do Norte.

Mas os protagonistas da história mesmo foram o Ramsés e a Aline que brigaram para conquistar e defender o HQ fortificado situado na África.

Desta briga, levou a melhor o Ramsés que forçou uma série de ataques e por fim dominou o ultimo HQ para conquistar os 04 pontos para ganhar o jogo.

E o grande desenrolar desta partida é que o Ramsés fundou uma Major City no Chile, que com a ajuda dos scars lançados no começo do jogo, ele será o Único jogador que pode começar na América do Sul!!

PARTIDA 02:

Como o relato da partida 01 foi intenso, não vou me extender muito por aqui.

O Alves com a iniciativa veio puxando a estratégia de dominar a Oceania e ir subindo; o Ramsés começou sem mistério na América do Sul e colhendo seus bônus; a Aline novamente na África, desta vez em Madacascar; o Saulo tentou a sorte na Europa; e o Raony posicionou as tropas na Ásia, avançando um pouco, pero no mucho.

O jogo já começou ruim.. para o Saulo! Tentou conquistar a Europa nos primeiros turnos com poucas tropas e levou várias bad beat como defensor, sem tempo de usar a habilidade que dá bônus no ataque dos Bears no pvp.

O Ramsés, com muitas tropas na América do Sul, já começou forçando a Ásia e a Aline buscando se defender, pois já estava esperta do ultimo jogo.

O Alves começou a calibrar as tropas na Oceania e subir para a Ásia, mas sempre cuidando o flanco devido a posição do Raony com o HQ fortificado.

O jogo ficou com o bate aqui, toma ali com vários turnos, e com isto muitas cartas.

E quem se deu bem com as trocas e acúmulo de exércitos foi o Alves que dominou os 02 HQ’s de uma hora para a outra, mas com muito esforço, perdendo mais ou menos 12 tropas contra 05 defensores no combate final.

Então o placar até agora é:

Ramsés 01 / Alves 01 / Aline, Saulo e Raony 00.

O negócio é ir pra frente e não deixar a piazada disparar!!

 

Sobre raonyosorio

Mané, mochileiro de plantão, couchsurfer, dançarino de salão, gerente de pensão, jogador de tabuleiro, fan de zombie movies e marvel comics.
Esta entrada foi publicada em Campeonatos, Encontros anteriores com as etiquetas . ligação permanente.

Comente!

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s